Comportamento Infantil 4 a 5 Anos | Guia Completo

por

Se seu filho está completando 4 ou 5 anos de idade, esse é um período de muitas mudanças para ele. Seja por conta do desenvolvimento físico, ou pelo início da vida em sociedade, visto que nessa fase as crianças começam a frequentar a escola.

Você já deve ter notado que seu filho está mais independente, se expressando melhor, explorando a criatividade com novas brincadeiras e etc. Mas junto com todas essas mudanças, podem vir acompanhados alguns “problemas comportamentais “.

Afinal, como é uma fase de descobertas, é comum que as crianças testem alguns limites para ver até onde podem ir. Por isso, cabe aos pais saber como lidar com as crianças com idade entre 4 e 5 anos.

Comportamento Infantil 4 a 5 anos

Pensando nisso, separei tudo o que você precisa saber sobre como lidar com o comportamento infantil de crianças entre 4 e 5 anos de idade. Se você ficou interessado em ter um guia completo sobre esse assunto, basta ler até o final.

Desenvolvimento Físico e Mental

Antes de qualquer coisa, vamos descobrir quais são os marcos de desenvolvimento comuns de serem atingidos pelas crianças entre 4 e 5 anos de idade. 

Em questões físicas, as crianças nessa idade costumam pesar entre 13 a 21 kg e ter entre 95 a 112 cm de altura, então geralmente é a época de trocar a cadeirinha do carro ou abandonar o carrinho de bebê.

Nessa época, a criança precisa de 10 a 13 horas de sono diário. Então já passam a noite toda dormindo, dando um descanso para os pais durante a noite.

Coordenação motora 

Você vai ver que o equilíbrio do seu filho está melhor, então agora ele já vai conseguir se vestir sozinho, andar para trás, dar cambalhotas, escovar os próprios dentes, usar a tesoura e etc.

Funções cognitivas

Pode ser que seu filho já consiga decorar e cantar músicas, contar até 10, nomear algumas cores e formas, montar quebra cabeças e até entender regras e instruções.

Pode ser também que seu filho dê uma “desgrudada” de você, passando mais tempo brincando no quarto em vez de andar atrás de você pela casa toda. O que pode levar a mais bagunças, já que pode ser que a criança pique algum papel importante ou quebre alguma coisa escondida.

A imaginação e criatividade também ficam mais aguçadas. E é nessa época em que a criança começa a formar sua personalidade.

Por isso, é tão importante que os pais estejam preparados para lidar com essa idade visto que a criança pode começar a mudar de personalidade. Alguns pais notam que a criança começa a responder, ou chorar por qualquer coisa. 

Então vamos entender porque isso ocorre e como lidar com esses comportamentos.

Crise dos 4 anos de idade

Nesse período a criança passa pelo que chamamos de fase da afirmação. Nessa fase, as crianças começam a querer entender o motivo das coisas e a debater esses motivos.

Pode ser que ao chamar a criança para tomar banho ela diga “mas o desenho ainda não acabou”, ou “porquê agora”. Se algo cair no chão e você pedir para que a criança pegue pode ser que você escute um “mas não fui eu que derrubei”.

Nessa idade as crianças costumam ficar mais falantes, mandonas e até metidas, com o famoso “você não consegue lelo lelo”. Por isso muitos dizem que nessa idade as crianças ficam sem educação.

Por isso, estabelecer limites e dialogar claramente com seus filhos se torna mais importante que nunca.

Então, em vez de apenas dizer “vá guardar seus brinquedos”, explique o motivo da ordem que você está dando. Você pode dizer “você não vai mais brincar com esses brinquedos? Então preciso que você os coloque de volta no lugar para não perder nenhuma peça e pra você não pisar em cima de um carrinho e acabar se machucando. Pode fazer isso para a mamãe, fazendo favor?”

Explicar o motivo e usar um tom cortês vai fazer com que a criança entenda a importância daquilo e fará com que ela se sinta uma ajudante. 

Mas se mesmo assim, a criança continuar se negando a obedecer é hora de ser mais rígida. Por exemplo, você pode dizer que a criança não irá assistir TV enquanto não guardar os brinquedos.

Pode ser que ao fazer isso, seu filho comece a chorar e fazer birra por não querer fazer o que precisa. Nesse caso, mandar a criança parar de chorar ou gritar de volta só irá piorar a situação.

Então deixe a criança chorar, até que ela perceba que não irá conseguir o que quer desse jeito e acabe se acalmando sozinha. 

Ao ver que a criança diminuiu ou parou totalmente de chorar, você pode ir até ela e dizer que entende que ela se sinta frustrada por não poder assistir TV, mas que assim que ela terminar a tarefa ela poderá fazer o que quer. Você pode explicar novamente os motivos de ter que guardar os brinquedos depois de brincar e perguntar se a criança entendeu.

Crise dos 5 anos de idade

Você deve estar pensando “mal me livrei de uma crise e já vem outra?”. Na verdade, uma fase completa a outra.

Da mesma forma que na fase anterior, a criança aos 5 anos de idade gosta de entender como as coisas funcionam e são capazes de usar argumentos para debater e algumas são até bem persuasivas.

Mas agora, a criança já tem mais consciência de si mesma e também do mundo a sua volta, o que torna mais fácil para elas entenderem explicações. Elas também já conseguem distinguir o certo do errado.  

É comum que nessa fase a criança entenda que um cachorro morde, então passe a ter medo de cachorro, por exemplo. Também é comum que a criança comece a ter pesadelos durante a noite.

Nessa  fase a criança já percebe se está sendo enganada e pode distinguir o que é real e o que não é.

Por conta dessas mudanças, pode acontecer da criança se sentir mais ansiosa e com isso se sentir mais irritada.

O que fazer se seu filho chora e grita muito?

Entre os 4 e 5 anos, é comum que ocorram as famosas birras, ou que a criança comece a responder aos pais.

Quando isso ocorrer, gritar de volta ou ameaçar de bater só vai deixar a criança mais nervosa e piorar toda a situação.

Apesar de ser um grande desafio para você, é importante manter a calma e aguardar a criança se acalmar.

É importante que você mostre para a criança que entende o motivo dela estar chateada, mas que tal tarefa é importante por tais motivos.

Se a criança não entender a importância de determinada coisa, você pode contar uma historinha para ajudá-la a entender melhor. 

Ou forçar a criança a raciocinar sozinha. Por exemplo, se a criança tem mania de ficar puxando a borracha dos botões do controle da TV, você pode dizer algo como: 

“Imagina se seus olhos fossem na sola dos pés, você iria conseguir enxergar de pé? Viu, cada coisa tem seu lugar, se você tirar o botão do controle, vai conseguir mudar de canal? E como você vai conseguir colocar no seu desenho?”

Com essas pequenas ilustrações engraçadas, além da criança compreender o motivo de não fazer tal coisa, ela vai dar risada de como a história foi contada. Então a criança não se sente contrariada e não fica irritada, aceitando mais fácil a orientação.

Mas se a criança faz birra por estar com medo, por exemplo, se for dormir na casa de algum parente e estiver insegura em passar a noite fora da segurança de casa, você pode oferecer uma pelúcia e colocar uma toca sua ou algo assim. Dessa forma a criança se sentirá mais confiante. 

Seja qual for o motivo da briga, conversa e paciência são o segredo para lidar com essa fase. Mas é importante saber distinguir birra de crise nervosa. Afinal, tantas mudanças podem sim abalar o psicológico da criança.

Sintomas de crise nervosa infantil

Cobranças excessivas, quantidade de tarefas muito grandes, ou acontecimentos como divorcio, brigas, mudança de cidade e etc, podem acabar sobrecarregando e desencadeando uma crise nervosa infantil.

E pode acontecer da família confundir uma crise nervosa com birra e malcriação, mas quando não tratado, esse estresse pode trazer grandes consequências na vida adulta da criança.

A crise nervosa infantil pode desencadear tanto sintomas físicos, quanto sintomas psicológicos. Entre os sintomas estão:

  • Insônia
  • Dor de barriga e diarréia
  • Impaciência
  • Náuseas
  • Dificuldade de socializar
  • Mãos frias e suadas
  • Agressividade
  • Fazer xixi na cama
  • Medo
  • Gaguejar
  • Pesadelos
  • Ranger os dentes
  • Choro excessivo
  • Hiperatividade
  • Tensão muscular
  • Tique nervoso

Caso seu filho apresentar vários desses sintomas de uma vez só, pode ser interessante marcar uma consulta com o pediatra, ou psicólogo infantil. Entretanto, se seu filho tem um desses sintomas de forma isolada, não há motivos para se preocupar.

Lidando com o comportamento Infantil de 4 a 5 anos

Como vimos, essa é uma fase de muitas descobertas e é quando a criança começa a moldar sua personalidade e a testar alguns limites.

Por isso, estabelecer limites e explicar claramente os motivos por trás de algumas ordens ou atitudes é extremamente importante para que a criança lide bem com essa nova etapa da infância. 

Esse sem dúvida é um enorme teste de paciência para os pais, principalmente os de primeira viagem, mas existem diversos programas na internet que ajudam os pais a lidar com essas situações. 

Então se você quer aumentar o vínculo afetivo com seu filho e ainda o ajudar a melhorar seu comportamento, o Programa Maternidade Mais Leve pode ser o que você procura. Já que ele te ajuda a desenvolver tranquilidade e confiança para lidar com as crianças e diminuir o mal comportamento em até 4 semanas.

Photo of author

Marcia Toledo

Mãe de 3, madrasta de 2 e avó de 4 me deu o titulo de Mãe Experiente. Depois de pura pressão social, decidi compartilhar meus conhecimentos sobre ser uma mãe e ter uma familia.